Coração do adorador

“Por isso, recebemos nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor, porque nosso Deus é fogo consumidor.”

“Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome” (Hb 12:28;13.19)
A vida cristã nos oferece muitas possibilidades em relação ao ato de buscar um contato mais íntimo, puro, ortodoxo e prazeroso com Deus. Dentre essas possibilidades destaco a Adoração como estilo de vida que prima pelo reconhecimento de quem é Deus, sua soberania, sua existência sempiterna, suas promessas e seus desígnios face ao adorador limitado, frágil, pecador, inconstante, infiel e mortal – adorado e adorador.

Encontramos na Bíblia homens e mulheres que, de diversas maneiras e em várias situações, expressaram-se com cânticos, hinos e orações, engrandecendo as propriedades e os atributos divinos (santidade, amor, grandeza, poder, sabedoria, eternidade, liberdade, justiça, bondade, longanimidade, perdão, poder curador). Estes e outros benefícios de Deus, por meio do culto e da adoração, são lembrados para que Deus seja glorificado e servido por todos nós.

Jesus, ao conversar com a mulher Samaritana, ensina que o Pai procura os verdadeiros adoradores, que o adorem em espírito e em verdade. Por assim dizer, a verdade, que para os gregos na época era entendida como tudo que é visível e palpável, o que podia ser comprovado por ser fato, representa nossa atitude de adoração externa em que nos tornamos notórios por nossas boas obras que glorificam a Deus, isso sem sermos presunçosos ou orgulhosos, mas naturalmente, quando fazemos o que é correto de acordo com a Escrituras Sagradas, seremos mediadores da adoração perfeita a Deus – Mateus 5:16

Em espírito, refere-se ao ato interno, a situação do coração do adorador – a inteireza, pureza e santidade que devemos a Deus, deve nortear nossa atitude interior como adoradores.

O adorado busca em nós uma atitude interior correta, pois assim o fazendo, nossas obras também serão de seu agrado, em verdade. A atitude interior deve preceder a exterior – esta é consequência daquela.

O adorado se alegra com o adorador, em um envolvimento transparente, em que não há espaço para reservas e hipocrisia.
Escrito e Registrado pelo Pastor Marvel Souza

Share This