Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de abril, 2021

DÁDIVAS DO CALVÁRIO: FAMÍLIA DIVERSA

Como você se identifica com Deus?  Um pai presente, uma mãe amorosa, um filho obediente até a morte de Cruz? Lembre-se: Deus se revela à humanidade em termos familiares - Ele é pai, Ele é filho e Ele ama como uma mãe.  A nossa identidade familiar deve ser gerada em Deus, pois ele é o maior referencial de família que temos. Nele mesmo reside a família divina e para Ele deve convergir toda família humana. "(... ) todas as famílias tomam o seu nome, tanto no Céu quanto na terra" - (Efésios 3:15).  A família é constituída como representação física da maneira como Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito se relacionam entre si como família divina. A família é o berço, o princípio e o ambiente microssocial onde @s herdeir@s do céu iniciam sua caminhada. Onde aprendem valores e a se relacionarem como cidadãos dos Céus. Quando Jesus estava na cruz entregando sua vida por toda a humanidade, Ele teve tempo para conferir a João, o discípulo amado. os cuidados da sua mãe, pois

DÁDIVAS DO CALVÁRIO: ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo continua atuando na vida e na prática da igreja de Cristo, consolando, ensinando, intercedendo, dando poder e sobretudo, comunicando ao nosso coração que somos filhos e filhas de Deus... As evidências extraídas dos ensinos bíblicos revelam que o Espírito Santo não é uma força impessoal e sim Deus, a terceira pessoa da trindade. Não há vida cristã abundante sem o agir do Espírito Santo, pois Ele é quem torna a fé dinâmica, dando-nos compreensão exata da vontade de Deus. A história da igreja relatada no livro de Atos torna notório o triunfo da obra de Jesus em enviar os seus discípulos, levando-os a presença de reis, governadores, autoridades, pobres e ricos - todo sucesso que houve dependeu da atuação do Espírito Santo na vida de homens que se dispuseram a propagar o Evangelho. Cumpriu-se o que fora dito por Cristo, “o Espírito guiou os discípulos em verdade”. O Espírito Santo é uma das Dádivas do Calvário, pois o próprio Cristo disse: "se eu não for, E

DÁDIVAS DO CALVÁRIO: RESGATE E PERDÃO

Série de pregações "Dádivas do Calvário" com o Reverendo Marvel Souza... Primeira Dádiva: REDENÇÃO E REMISSÃO (Resgate e Perdão). A Redenção e a Remissão promovidas por Jesus por meio do seu sacrifício expiatório encontra respaldo bíblico em Colossensses 1:13-22; 2:10-15 . E na carta do apóstolo Paulo aos Efésios, capítulo 1, verso 7: "Temos a redenção pelo seu sangue".  Para além da imagem de dor e sofrimento do Calvário, devemos enchergar o propósito de Cristo: "Resgatar toda humanidade, que estava morta em seus pecados e transgressões" - Efésios 2:1-3. A morte de Jesus traria vida à humanidade, seu sofrimento e suas feridas promoveriam libertação e purificação. Moído por nossas transgressões, Ele conquistou cura para nossas enfermidades. Morto pelos nossos pecados, Ele garantiu vida em abundância. Ressurreto pelo poder de Deu, Ele legitimou nossa filiação. A "Redenção" então significa o maravilhoso resgate que Cristo trouxe à h

EU ESCOLHI MINHA FILHA!

Diante de uma plateia de 5.000 pessoas ela contou sobre um telefonema recebido que mudou toda sua vida para sempre - era sua filha na ligação: "Mãe, eu acho que sou bissexual... Ao ouvir isso, ela buscou suporte na sua comunidade de fé que lhe disse: "você precisa escolher entre sua igreja e sua filha". Ela ama sua comunidade fé e ama sua filha também! Em uma pausa dramática,  diante das 5 mil pessoas presentes, com lágrimas nos olhos, ela disse: "EU ESCOLHI MINHA FILHA!". São muitas as pessoas que se veem na mesma situação e precisam decidir entre as coisas que amam, e as pessoas a quem amam. Muitas mães são persuadidas a escolher a comunidade de fé, sob a alegação de que a Igreja sempre está correta em suas decisões sobre a vida humana. No entanto, está cada vez mais claro que as decisões religiosas que colocam a comunidade LGBTQI+ à margem do convívio religioso harmonioso, são um grande equívoco que precisa ser cor

VÍTIMA FATAL DO PRECONCEITO CONTRA A POPULAÇÃO LGBTQ+: PIETRA VALENTINA

"MIMIMI, FRESCURA, FUMACENTO?" - mais uma pessoa Trans assassinada brutalmente... Aos 16 anos de idade, Pietra Valentina entra para as estatísticas de pessoas LGBTQ+ que a cada 26 horas são assassinadas no Brasil, colocando-nos no ranking dos países mais perigosos para pessoas da sigla  Eu fui mesário nas últimas eleições presidenciais, e me lembro bem de algumas pessoas que entraram para votar falando abertamente que escolheriam um presidente para acabar com a corrupção e com as ameaças à família tradicional brasileira. Uma das pessoas chegou a dizer: "bala para corrupto e viado!".  Cheguei a dizer para algumas pessoas que o índice de crimes contra a população LGBTQ+, da qual eu faço parte, aumentaria tendo na liderança do país alguém que declaradamente é contra a diversidade de gênero e identidade de gênero. A resposta que recebi. "Nossa economia vai melhorar. Isso basta!".  Os fatos: a economia continua patinando e o número de casos de agres

O DESFAVOR RELIGIOSO

Castigo Divino? - Os fariseus e o desfavor da opinião legalista sobre o ator Paulo Gustavo: Lendo uma reportagem sobre a intubação do ator Paulo Gustavo (a Dona Herrmínia - minha mãe é uma peça), fiquei estarrecido com a quantidade de evangélicos fundamentalistas que dizem que ele está  com o caso grave da COVID-19, porque vive uma vida de pecado com seu marido, o médico Thales Bretas. É triste constatar que a classe farisaica da religião ainda persiste firme e forte julgando as pessoas, assentada na cadeira de Moisés (Mt 23:2). Para eles, quando um ente querido evangélico fundamentalista sofre, é porque está sendo provado/a por Deus. E quando vai a óbito, é porque Deus tomou para si. Há quem diga que a pandemia é o próprio arrebatamento da igreja. Por outro lado, quando um homossexual, ou qualquer outra pessoa que não compactua da mesma fé e prática cristã deles, o julgamento é sempre o mesmo: se sofre, é porque está sendo punido por Deus; se morre, vai para o inferno.  At

Domingo Santo: das trevas à luz, é a páscoa!

A páscoa representa para muitas pessoas um ótimo momento para dar e receber presentes. Cada vez mais pessoas associam a páscoa ao consumismo ou ao lucro, principalmente aqueles que encontram nesta data a oportunidade de vender doçuras de chocolate.    Na contramão das influências comerciais e do consumismo frenético, a Bíblia Sagrada apresenta a primeira celebração de Páscoa na história da humanidade. No livro de Êxodo (capítulo 12) encontramos o líder Moisés instruindo o povo hebreu quanto ao ritual que representaria o  grande livramento  (saída do Egito) que Deus lhes concederia. Longe de coelhos, ovos e chocolates, a realidade da primeira páscoa se desenrola com um cordeiro perfeito, seu sangue, fogo, pães sem fermento e ervas amargas. Segundo Moisés: “quando vossos filhos vos perguntarem: que ritual é este? Vocês responderão: Esta é a  Pessach  (Páscoa) do Senhor” – Ex 12:26-27. Portanto, a primeira Páscoa foi orquestrada em um ritual que representou a verdade divina qu

Sábado Santo: Jesus está morto e sepultado

Do alvoroço da multidão ao silêncio da tumba fria, Jesus é sepultado. Chegamos ao Sábado Santo (João 19:31-42).  Este é o sábado do silêncio, da tristeza da morte e da dor da perda. Os discípulos estavam desolados e não conseguiam ligar os pontos das profecias - seria este o fim do ministério de Jesus? Pedro havia chorado arrependido por tê-lo negado, judas já havia dado cabo da própria vida - todos estavam sem norte. Cumpria-se a profecia: "ferirei o pastor e as ovelhas se dispersarão" (Mateus 26:31).  O ambiente fúnebre não permite que os discípulos interpretem os ensinos de Jesus sobre sua morte e ressurreição. Eles estavam tomados pela dor da perda. Algo que é comum a vida humana: achar que a morte é o ponto final. Isso aconteceu com marta e Maria quando Lázaro morreu (João 12). Elas chegaram a dizer para Jesus: "se o Senhor estivesse aqui, meu irmão não teria morrido". Ao que Jesus respondeu: "quem crê em mim, ainda que morra viverá. E todo aqu

SEXTA-FEIRA SANTA: A MORTE NA CRUZ

Chegamos à Sexta-feira Santa ou Sexta-feira da Paixão, momento no qual os pecados e transgressões da humanidade pesaram sobre Jesus, colocando-o em cadeias, castigo de açoites e culminando com sua morte na cruz (João 18:1-40).  Sobre ele pesava toda injustiça, o preço da nossa dívida (Colossenses 2: 14-17), a dor da traição e a tristeza de quem foi abandonado pelos seus próprios amigos. Ademais, na cruz lhe aguardava o silêncio do próprio pai (Mateus 27:46). Jesus representa a dor de todas as pessoas injustiçadas em qualquer lugar e tempo. Pessoas perseguidas e discriminadas, excluídas e escravizadas, na cruz representadas pelo cordeiro pascal oferecido como sacrifício perfeito e eterno. É incontestável dizer que na sua dor o perdão fluiu, no seu sofrimento a cura surgiu e na sua morte a graça extravasou.  "O EXTRAVASO DA GRAÇA"! Sim, é o que se pode dizer desta sexta-feira da paixão. Sem murmurar, sem lamentar, sem nem mesmo hesitar, a entrega foi perfeita e plen

Quinta-feira Santa: a Ceia do Senhor

Hoje, Quinta-feira Santa, momento que nos traz à memória a humildade de Jesus, a comunhão entre os filhos e filhas de Deus e a instituição da Ceia do Senhor (1Coríntios 11:23-33).  Tendo anunciado aos seus discípulos que seria traído, mas que era necessário que assim o fosse, Jesus retira sua túnica, deita água em uma bacia, com uma toalha sobre seus ombros, em uma atitude de humildade, ele se curva para lavar os pés dos seus amados. É como se a história da salvação estivesse sendo contada novamente em uma bela e verdadeira encenação de "lava pés" (João 13:1-17)  - o mestre toma a posição de servo, humildemente estendendo aos pecadores a graça divina.   Sua humildade foi precedida pelo seu amor. Ele estava decidido a amar os seus até às últimas consequências da sua vida e obra: "tendo amado os seus, amou-os até o fim" (João 13:1).  Era de vital importância que os discípulos entendessem este momento como uma aula prática do que eles deveriam fazer para pe